Segundo caso de Chikungunya é confirmado na cidade de Cataguases.

O retorno do Homem Aranha? Ladrão escala marquise e furta estabelecimento comercial em S.J.Nepomuceno.
junho 5, 2019
Policiais Militares ajudam a salvar vida de criança de 1 ano e 2 meses engasgada em Guiricema MG.
junho 6, 2019
Exibir tudo

Segundo caso de Chikungunya é confirmado na cidade de Cataguases.

A Secretaria Municipal de Saúde de Cataguases divulgou na manhã desta quarta-feira, 05 de junho, o registro do segundo caso de Chikungunya no município em 2019. Até o momento, ainda segundo a equipe de Epidemiologia daquela Pasta, oito pessoas receberam o diagnóstico provável da doença e aguardam o resultado dos exames complementares. Em abril, Cataguases confirmou o primeiro caso do ano de Chikungunya. A vítima foi uma mulher de 41 anos de idade que após passar pelo tratamento recebeu alta médica.

Nesta quarta-feira veio a confirmação do segundo caso, em um homem de 65 anos de idade.

 

Conforme revela Tairizes Roque, que compõe a equipe de Epidemiologia da Secretaria de Saúde daquela cidade, as pessoas devem ficar atentas aos sintomas da doença e ao primeiro sinal de um deles procurar o Posto de Saúde mais próximo ou o médico de referência. “É preciso também fazer a notificação e comunicar ao setor de Endemias para que faça o bloqueio na região onde há suspeita”, orienta. Por isso, acrescenta Tairizes, manter os quintais das residências limpos “é a primeira grande contribuição para evitar a propagação desta doença”, contou.

O que é, transmissão e prevenção ao Chikungunya
A febre chikungunya é uma doença viral transmitida pelos mosquitos Aedes aegypti e Aedes albopictus. Os principais sintomas são febre alta de início rápido, dores intensas nas articulações dos pés e mãos, além de dedos, tornozelos e pulsos. Pode ocorrer ainda dor de cabeça, dores nos músculos e manchas vermelhas na pele. Não é possível ter chikungunya mais de uma vez. Os sintomas iniciam entre dois e doze dias após a picada do mosquito. O período de incubação do vírus é de 4 a 7 dias, e a doença, na maioria dos casos, é auto-limitante.

continua após a publicidade

 

Ainda não existe vacina ou medicamentos contra chikungunya. Portanto, a única forma de prevenção é acabar com o mosquito, mantendo o domicílio sempre limpo, eliminando os possíveis criadouros. Roupas que minimizem a exposição da pele durante o dia, quando os mosquitos são mais ativos, proporcionam alguma proteção às picadas e podem ser adotadas principalmente durante surtos. Repelentes e inseticidas também podem ser usados, seguindo as instruções do rótulo. Mosquiteiros proporcionam boa proteção para aqueles que dormem durante o dia (por exemplo: bebês, pessoas acamadas e trabalhadores noturnos).

Fonte > Site do Marcelo Lopes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *