Onda de calor faz alerta de perigo ser ampliado para 13 estados e DF, segundo Inmet

PM prende na zona rural de Guarani, suspeito de arrombar e furtar propriedades rurais.
novembro 12, 2023
Filhote de onça-parda é resgatado ferido na MG-353
novembro 13, 2023
Exibir tudo

Onda de calor faz alerta de perigo ser ampliado para 13 estados e DF, segundo Inmet

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) ampliou para 13 estados e Distrito Federal os alertas de perigo por conta das altas temperaturas registradas no Brasil. A previsão é de que a onda de calor dure ao menos até quarta-feira (15).

Os alertas se concentram nas regiões Centro-Oeste e Sudeste, mas também alcançam estados do Norte e do Sul do país. Nestes locais, há a previsão de termômetros ao menos 5 °C acima da média histórica para o mês de novembro.

 

Continua após a publicidade

Confira abaixo os locais que receberam avisos de perigo emitidos pelo Inmet.

  • Alerta de grande perigo: Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do SUl, Minas Gerais, Rondônia e São Paulo
  • Alerta de perigo: Amazonas, Bahia, Espírito Santo, Pará, Paraná, Rio de Janeiro e Tocantins

 

O Inmet explica que os alertas de perigo exigem atenção sobre condições meteorológicas e riscos que possam ser inevitáveis. Já os alertas de grande perigo se referem a situações em que estão previstos fenômenos meteorológicos de intensidade excepcional, com riscos para a integridade física.

Em São Paulo, a Defesa Civil decretou estado de alerta diante da previsão de máxima de 37 °C. No Rio de Janeiro, as temperaturas ficaram acima de 30°C já pela manhã, e o bairro do Jardim Botânico registrou 33,7 °C, com sensação térmica de 48 °C.

Maiores temperaturas

 

As cidades de Porto Murtinho (MS) e Aragarças (GO) registraram máxima de 42,3 °C no sábado (11), as maiores registradas no dia pelo Inmet. Cuiabá (MT) registrou 41,3 °C e foi a capital com a maior temperatura do dia.

O Inmet afirma que as temperaturas máximas no Mato Grosso e no Mato Grosso do Sul devem atingir os 44 °C nos próximos dias. A previsão é de que várias cidades registrem recordes históricos de calor nesta semana.

A meteorologista Andrea Ramos, do Inmet, explica que esta é uma tendência mundial, já identificada pela Organização Meteorológica Mundial (OMM).

Além do calor, há a baixa umidade. Para se ter uma ideia, a Organização Mundial da Saúde (OMS) define que índices abaixo de 12% são considerados emergenciais.

“Essa massa de ar que está atuando em boa parte do país é quente e seca. A gente está registrando umidades abaixo de 20% e, em alguns pontos, até abaixo de 15%”, afirmou a meteorologista.

Fonte: G1

Kadu Fontana
Kadu Fontana
Jornalista registrado no MTE desde 2014 , radialista, e proprietário do Portal RKF. www.instagram.com/kadufontana/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo está protegido !!