Estádio do Nacional de Muriaé passa a operar através da energia solar.

Dois jovens são presos após PM cumprir mandados em Bicas MG.
outubro 9, 2021
CMBEM realiza Festa do Dia das Crianças nas creches de São João Nepomuceno
outubro 10, 2021
Exibir tudo

Estádio do Nacional de Muriaé passa a operar através da energia solar.

O Estádio Soares de Azevedo, em Muriaé, passa a operar através de energia solar. Com um investimento de cerca de R$ 405 mil, o NAC_ Nacional Atlético Clube contratou uma empresa e tornou o estádio energeticamente autossustentável. As obras já foram concluídas. O Nacional informou que o projeto foi aprovado pela Energisa e aguarda apenas a troca do medidor de energia para começar a funcionar.

Desta forma, o clube, que gastava R$ 15,3 mil por mês com a conta de energia elétrica, passará a ter um custo mensal de R$ 100 com conexão de rede. Assim, o Nacional de Muriaé espera ter o retorno do dinheiro investido entre dois anos e meio e três anos.

continua após a publicidade

— A importância para o clube é principalmente a contenção de despesas. O valor economizado mensalmente com gasto de energia elétrica poderá ser utilizado para a melhorar a estrutura em geral, será revertido para outras áreas do clube — explicou o vice-presidente, José Geraldo Pimentel. Foram instaladas  310 placas de 445w cada.

A primeira vantagem é a financeira, porque é um projeto com retorno rápido, em até três anos. Quer dizer que, como o equipamento tem até 30 anos de vida útil, haverá três anos para recuperar o investimento e 27 anos de lucro. Fora que o clube produz a própria energia e não estará sujeito aos reajustes da conta de energia elétrica. Além disso, tem a questão ecológica, por ser uma energia limpa, renovável — explicou.

 

Foram cerca de 15 dias de obras, que foram concluídas no fim de setembro. O funcionário da empresa diz que a maior dificuldade no processo foi lidar com a altura do telhados das arquibancadas, bem como entender se havia base de sustentação para que as placas fossem colocadas.

O maior desafio de montagem da estrutura foi a altura, o telhado da arquibancada é muito alto, muito perigoso. Tivemos que tomar muitos cuidados com a segurança do pessoal que trabalhou, com corda de segurança, cinto, capacete. Foi realizada uma pesquisa com a empresa que montou o telhado, para saber se a estrutura suportaria o peso dos painéis, porque são 7 toneladas de equipamentos no topo das arquibancadas — disse.

Segundo o NAC, a Energisa realizou a vistoria e aprovou o sistema. O complexo do Soares de Azevedo vai iniciar a operação com energia fotovoltaica após a troca do medidor de energia, que deve acontecer nos próximos dias, sem data definida. Wellington Figueiredo explica como funciona o gerador e como o clube consegue ter economia na prática.

— O gerador fotovoltaico funciona de forma a gerar crédito com a concessionária. Ele não gera o funcionamento dos equipamentos do clube, apenas gera energia e injeta na rede da concessionária. Esta faz a contagem do Kw/hora produzidos e fornece crédito na conta de energia para o cliente. É um sistema de compensação — concluiu.

Fonte: G1 Zona da Mata

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo está protegido !!