Mãe e filha são presas suspeitas de homicídio em Cataguases.

Homem morre esmagado por elevador no centro de Viçosa.
janeiro 13, 2021
Dois jovens são detidos e droga apreendida pela PM em Goianá MG.
janeiro 13, 2021
Exibir tudo

Mãe e filha são presas suspeitas de homicídio em Cataguases.

Uma mulher de 50 anos de idade e sua filha, de 19, foram presas em flagrante pela Polícia Militar, suspeitas de terem assassinado o companheiro da mais velha, identificado como sendo Carlos Roberto da Silva Januário, de 55 anos. O crime aconteceu em um sítio na Colônia Major Vieira, zona rural de Cataguases, entre a noite de segunda-feira, 11, e madrugada desta terça-feira, 12 de janeiro, conforme informações prestadas pelo comandante do policiamento em Cataguases, tenente Vinícius Marinato.

continua após a publicidade

rev_slider alias=”publicidade-lateral-04″]

Inicialmente, conforme o registro policial, a namorada da vítima disse aos policiais que estava na casa de seu companheiro no final da tarde de segunda-feira, 11, quando três homens teriam saído da mata e entrado na residência à procura de Carlos Roberto. Assustada, ela afirmou ter corrido para o pasto localizado nos fundos do terreno e lá teria permanecido toda a noite e só retornou à casa pela manhã quando encontrou o corpo de seu namorado.

Imagem ilustrativa

Uma testemunha ouvida pelos policiais, que é irmão da namorada da vítima, contou ter sido chamado por mensagem no telefone para ir até ao sítio porque sua irmã passava mal de saúde. A mesma mensagem foi novamente enviada à ele nesta manhã e, ainda, uma ligação telefônica com o mesmo assunto, o que o fez ir até o sítio onde ficou sabendo do ocorrido. Em seguida, levou a irmã até à sede da 146ª Companhia Especial de Polícia Militar em Cataguases para os procedimentos legais. Ele também afirmou ter estranhado a presença de sua sobrinha, de 19 anos, que segundo disse, não costuma frequentar aquela propriedade.

Mediante a denúncia, uma equipe da PM foi até o local e encontrou o corpo de Carlos Roberto caído no chão de um dos quartos, enrolado numa colcha, com os pés e mãos amarrados. Os militares ouviram também o depoimento da jovem, filha da namorada da vítima, repleto de contradições e fora do contexto do que sua mãe havia contado. Com os novos questionamentos a jovem acabou confessando o crime praticado com a ajuda de sua mãe. Elas teriam utilizado um cabo elétrico para asfixiar a vítima. Segundo a garota, ela dormia no sítio e acordou com sua mãe sendo agredida pelo companheiro e por isso foi defendê-la. Ainda conforme narrou, ela ainda queimou um colchão no quintal.

rev_slider alias=”publicidade-lateral-05″]

Inicialmente, conforme o registro policial, a namorada da vítima disse aos policiais que estava na casa de seu companheiro no final da tarde de segunda-feira, 11, quando três homens teriam saído da mata e entrado na residência à procura de Carlos Roberto. Assustada, ela afirmou ter corrido para o pasto localizado nos fundos do terreno e lá teria permanecido toda a noite e só retornou à casa pela manhã quando encontrou o corpo de seu namorado.

Uma testemunha ouvida pelos policiais, que é irmão da namorada da vítima, contou ter sido chamado por mensagem no telefone para ir até ao sítio porque sua irmã passava mal de saúde. A mesma mensagem foi novamente enviada à ele nesta manhã e, ainda, uma ligação telefônica com o mesmo assunto, o que o fez ir até o sítio onde ficou sabendo do ocorrido. Em seguida, levou a irmã até à sede da 146ª Companhia Especial de Polícia Militar em Cataguases para os procedimentos legais. Ele também afirmou ter estranhado a presença de sua sobrinha, de 19 anos, que segundo disse, não costuma frequentar aquela propriedade.

Mediante a denúncia, uma equipe da PM foi até o local e encontrou o corpo de Carlos Roberto caído no chão de um dos quartos, enrolado numa colcha, com os pés e mãos amarrados. Os militares ouviram também o depoimento da jovem, filha da namorada da vítima, repleto de contradições e fora do contexto do que sua mãe havia contado. Com os novos questionamentos a jovem acabou confessando o crime praticado com a ajuda de sua mãe. Elas teriam utilizado um cabo elétrico para asfixiar a vítima. Segundo a garota, ela dormia no sítio e acordou com sua mãe sendo agredida pelo companheiro e por isso foi defendê-la. Ainda conforme narrou, ela ainda queimou um colchão no quintal.

Fonte : Site do Marcelo Lopes

1 Comment

  1. Maria Luzia disse:

    Que mundo estamos Jesus

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *