Suspeito do desaparecimento da ex-mulher em JF é preso em Rochedo de Minas.

Polo da UNOPAR em S.J.Nepomuceno recebe calouros com aula inaugural.
08/08/2019
Jovem é detido e revólver e simulacro de pistola apreendidos em SJN.
08/08/2019
Exibir tudo

Suspeito do desaparecimento da ex-mulher em JF é preso em Rochedo de Minas.

O delegado Rafael Gomes, da 3ª Delegacia de Polícia Civil, confirmou na tarde desta quinta-feira (8) que Jaime Tristão Alves, de 41 anos, foi preso em Rochedo de Minas. Ele era considerado foragido e era procurado após o desaparecimento da ex-mulher, Cláudia de Paiva Rezende Alves, em Juiz de Fora, no início de julho deste ano.

A principal linha de investigação, segundo o delegado, indica crimes de feminicídio e ocultação de cadáver. Mais informações sobre o caso serão passadas pela Polícia Civil ainda nesta quinta-feira.Cláudia de Paiva Rezende Alves, 47 anos, foi vista pela última vez no dia 6 de julho deste ano, no Bairro Nova Era em Juiz de Fora . O boletim de ocorrência de desaparecimento foi registrado pelo ex-marido no dia 8 de julho na Polícia Militar (PM). No mesmo dia, o caso foi para a 3ª Delegacia de Polícia Civil, que foi procurada por familiares da mulher.

“Abrimos inquérito e passamos a realizar as diligências investigatórias. Parentes foram à Delegacia explicar que estavam preocupados porque Cláudia não tinha vícios e não tinha costume de deixar os dois filhos adolescentes sozinhos em casa. Sempre que ela precisava se ausentar, alguém os monitorava”, contou o delegado.

continua após a publicidade

A partir disso, o ex-marido foi chamado para prestar depoimento. “Na primeira versão, ele contou que, no dia 6, ele saiu de casa de manhã para alguns afazeres. Posteriormente, ficou das 12h às 19h em um bar na Zona Norte de juiz de Fora com os amigos. Depois foi para uma exposição agropecuária em uma cidade vizinha e, ao voltar para casa, dormiu.”

No domingo, contou que saiu para andar de moto e voltou para casa. Os filhos disseram que a mãe estava desaparecida. Então levou os garotos para fazer um lanche em um shopping e só na segunda-feira procurou a PM para fazer o boletim de ocorrência”, disse Rafael Gomes.

                             Foto TV Integração ( reprodução )

Na sequência da apuração, foram ouvidos os amigos que estiveram no bar com o suspeito e que apresentaram uma versão diferente. “Eles falaram que o homem saiu do bar por volta das 16h, 16h30 e só retornou às 19h. Nós os chamamos novamente para depor. O suspeito não soube informar onde esteve neste intervalo, alegando que ficou andando de carro”.

Os investigadores conseguiram imagens de câmera de segurança que mostram Cláudia de Paiva Rezende Alves em uma padaria no Bairro Nova Era e o ex-marido por perto. “Os registros são dela entrando no local onde fez recarga do aparelho celular. Enquanto ela estava lá, o carro do ex-marido foi flagrado passando pelo local, dando a volta no quarteirão e até ficar parado na rua principal por cerca de um minuto”.

Após a autorização judicial para a quebra do sigilo telefônico, outra descoberta. De acordo com o delegado, o homem ligou para a ex-mulher.

“Em seguida, ela saiu da padaria e foi ao encontro dele. Os dois entraram na mesma rua, ele de carro e ela a pé. As imagens seguintes não mostram mais a Cláudia subindo e nem descendo a rua, mas registram o carro dele. Tudo indica que ela embarcou no veículo. Desde então, o celular dela não registrou mais nenhuma chamada e Cláudia não foi mais vista”.

Com estas informações, a Polícia Civil apreendeu o carro do ex-marido, que foi periciado. “Após a realização do luminol, houve detecção de sangue no encosto de cabeça do banco do motorista, na porta do motorista e no casaco que ele usava no dia. Foi colhido material para ser comparado com o material genético de familiares da Cláudia. O exame será feito em Belo Horizonte”, explicou.

Informações : G1 Zona da Mata

“No domingo, contou que saiu para andar de moto e voltou para casa. Os filhos disseram que a mãe estava desaparecida. Então levou os garotos para fazer um lanche em um shopping e só na segunda-feira procurou a PM para fazer o boletim de ocorrência”, disse Rafael Gomes.

Na sequência da apuração, foram ouvidos os amigos que estiveram no bar com o suspeito e que apresentaram uma versão diferente. “Eles falaram que o homem saiu do bar por volta das 16h, 16h30 e só retornou às 19h. Nós os chamamos novamente para depor. O suspeito não soube informar onde esteve neste intervalo, alegando que ficou andando de carro”.

Os investigadores conseguiram imagens de câmera de segurança que mostram Cláudia de Paiva Rezende Alves em uma padaria no Bairro Nova Era e o ex-marido por perto. “Os registros são dela entrando no local onde fez recarga do aparelho celular. Enquanto ela estava lá, o carro do ex-marido foi flagrado passando pelo local, dando a volta no quarteirão e até ficar parado na rua principal por cerca de um minuto”.

Após a autorização judicial para a quebra do sigilo telefônico, outra descoberta. De acordo com o delegado, o homem ligou para a ex-mulher.

“Em seguida, ela saiu da padaria e foi ao encontro dele. Os dois entraram na mesma rua, ele de carro e ela a pé. As imagens seguintes não mostram mais a Cláudia subindo e nem descendo a rua, mas registram o carro dele. Tudo indica que ela embarcou no veículo. Desde então, o celular dela não registrou mais nenhuma chamada e Cláudia não foi mais vista”.

Com estas informações, a Polícia Civil apreendeu o carro do ex-marido, que foi periciado. “Após a realização do luminol, houve detecção de sangue no encosto de cabeça do banco do motorista, na porta do motorista e no casaco que ele usava no dia. Foi colhido material para ser comparado com o material genético de familiares da Cláudia. O exame será feito em Belo Horizonte”, explicou.

Kadu Fontana
Kadu Fontana
Jornalista registrado no MTE desde 2014 , radialista, e proprietário do Portal RKF. www.instagram.com/kadufontana/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo está protegido !!