Polícia Militar do Meio Ambiente alerta para o início do período de queimadas.

Propriedade é roubada na zona rural de Guarani MG. Um suspeito já preso.
abril 28, 2022
Homem é detido após desentendimento de vizinhos na zona rural de Rio Pomba
abril 28, 2022
Exibir tudo

Polícia Militar do Meio Ambiente alerta para o início do período de queimadas.

A cultura popular diz que os meses que não têm a letra “R” são os mais secos na região Sudeste do Brasil. Esse é o período de estiagem, que coloca em risco a fauna e a flora com atitudes criminosas do homem: as queimadas. Somente ano passado, na região da 4 Companhia de Meio Ambiente da Polícia Militar (4 Cia MAmb), foram identificados e fiscalizados 170 hectares de áreas queimadas. Essa quantidade equivale a 238 campos de futebol.

Assim como ano passado, a PM quer orientar toda população sobre os riscos de provocar queimadas. O comandante do Pelotão do Meio Ambiente em Juiz de Fora, tenente Júlio César de Almeida, lembra dos riscos de um incêndio. “Além de exterminarmos nossa fauna e flora, há o risco para o próprio ser-humano. Queimadas em beiras de estradas representam um grande risco para os condutores, como o registrado na última terça-feira, na MG-353, no Bairro Granjas Guarujá”, disse. O tenente se referiu a um incêndio em árvores que margeiam a MG-353, próximo à Polícia Militar Rodoviária. O incêndio provocou uma cortina de fumaça e interrompeu o trânsito na região.

continua após a publicidade

Além de orientar, a PM vai fiscalizar e multar os infratores. Ano passado, foram 35 ocorrências em que os policiais identificaram os cidadãos que provocaram a queimada e lhes aplicaram multa. O montante foi de R$ 172.550. “Nossa área de atendimento é muito extensa, mas contamos com o apoio de toda população, com denúncias pelo telefone do Pelotão para podermos identificar e punir àqueles que desrespeitam as leis”, afirmou Almeida.

Comandante do Pelotão do Meio Ambiente em Juiz de Fora, tenente Júlio César de Almeida

QUEOMADAS EM ÁREAS PARTICULARES TAMBÉM É CRIME

As queimadas em áreas particulares também é considerado crime ambiental. Os riscos vão desde a evasão de animais para a área urbana como os riscos com um incêndio descontrolado próximo às residências. “Os animais são os que mais sofrem. Eles perdem o habitat natural, a comida, o refúgio. E vão procurar abrigo nas ruas, estradas, casas. O risco de acidentes acaba aumentando”, argumentou.

ÁREAS DE PRESERVAÇÃO

Outra grande preocupação da PM é com os parques da região. Áreas como o Parque Estadual de Ibitipoca e a Serra do Brigadeiro foram castigadas ano passado com incêndios, muitas vezes, provocados pela ação do homem. “Foram três grandes focos em Ibitipoca e dois na Serra do Brigadeiro. Quando as pessoas forem fazer seus passeios, devem levar uma sacolinha de lixo com elas. Uma binga de cigarro, um pedaço de vidro ou de alumínio podem iniciar um incêndio, que vai consumir o que temos de mais importante: nosso planeta”, finalizou.

Fonte : PMMAMb

Kadu Fontana
Kadu Fontana
Jornalista registrado no MTE desde 2014 , radialista, e proprietário do Portal RKF. www.instagram.com/kadufontana/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: O conteúdo está protegido !!