Fake news acusando homem de ser estuprador é desmascarada pela PM em Cataguases.

S.J.Nepomuceno: após sessão conturbada, Willian Lima é reeleito presidente do Operário FC.
junho 20, 2019
Provedor se licencia temporariamente do Hospital São João.
junho 21, 2019
Exibir tudo

Fake news acusando homem de ser estuprador é desmascarada pela PM em Cataguases.

Uma notícia falsa divulgada amplamente pelo aplicativo de mensagens WhatsApp na terça-feira, 18, e quarta, 19, na cidade de Cataguases, com a foto de um homem e legenda informando tratar-se de um estuprador, mobilizou a Polícia Militar que conseguiu localizar o indivíduo e constatou que ele não tem nenhum envolvimento com este tipo de acusação, nem há até o momento registro policial contra ele por crimes contra a vida.

A informação foi ressaltada  ao Site do Marcelo Lopes ( parceiro do RKF) , pelo comandante da Polícia Militar em Cataguases, major Willian Machado. “Tudo não passou de mais uma fake news, sendo que esta teve como objetivo claro prejudicar um cidadão que até o momento não há nada de ilícito contra ele”, comentou.

continua após a publicidade

O perigo é imediato para a vítima que tem seu nome e ou imagem divulgada por este tipo de fake news. Especialmente porque não há como prever a reação das pessoas que, porventura, se virem frente a frente com o suposto suspeito. A pessoa corre – inclusive – risco de morte como já aconteceu algumas vezes no Brasil. Um cataguasense passou por isso e viu de perto uma multidão enfurecida. Era 05 de abril de 2017 quando o vendedor cataguasense e uma mulher quase foram linchados na cidade de Araruama, Região dos Lagos, Rio de Janeiro. O motivo foi a divulgação de mensagens no WhatsApp informando que ocorrera o sequestro de criança na cidade e dando a entender que o casal seria o responsável.

Veja abaixo a mensagem falsa acusando falsamente o homem.

Major Willian lembra que mensagens recebidas pela internet devem ter confirmadas sua veracidade antes de serem compartilhadas. “O risco de se cometer um erro grave que pode levar uma pessoa à morte é grande. Sem contar no constrangimento a que a vítima foi submetida. Além disso é proibido divulgar imagem de qualquer pessoa sem a sua autorização expressa.

Neste caso, completa o comandante da PM, a vítima pode processar quem fez a divulgação”, disse.

Fonte : Site do Marcelo Lopes

 

Kadu Fontana
Kadu Fontana
Jornalista registrado no MTE desde 2014 , radialista, e proprietário do Portal RKF. www.instagram.com/kadufontana/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: O conteúdo está protegido !!